Música

É com muito orgulho que anunciamos a volta do Música em Foco aqui no Blog. Esse projeto surgiu lá em 2014, com uma ideia inicial de conhecer músicos e bandas que usam a internet para divulgação de seus trabalhos, e convida-los para uma conversa onde pudessem expressar suas inspirações, trajetórias e objetivos.

A ideia de levar isso além da matéria em texto, já circulava em nossas mentes a muito. E agora finalmente demos um passo adiante para que isso aconteça. A nova fase do Musica em Foco, inaugura também nosso canal no youtube.

Para essa nova etapa, contamos com a presença do Jean Nascimento, criador de A Quarta Montanha. Na entrevista com o Felipe Oliveira ele nos contou sobre o surgimento deste que é seu projeto pessoal, além de citar suas influencias e seu pensamento sobre o cenário Urbano.

Confira:

*Inicialmente o Vídeo teria sido postado na sexta-feira passada, mas por conta de alguns problemas com áudio ele foi retirado e repostado. Esta é a nossa primeira experiência pela plataforma de videos, por isso esperamos a compreensão de vocês*

Tivemos a honra de sermos escolhidos para ajuda-lo com o lançamento de seu novo trabalho. A música “Abriu os Braços” divulgada junto a entrevista, ficou marcada como sua segunda musica no projeto A Quarta Montanha.

E já adiantamos que amamos muito essa faixa, não só pelo ritmo mas também pela letra forte que a acompanha.

O sigle já esta disponível no Youtube e também na SoundCloud. Mas claro que deixaremos aqui para vocês conhecerem.

Ouça também “Vela”.

Nos Bastidores

Durante uma conversa que antecedeu a entrevista, Jean nos contou um pouco sobre seu olhar diante da interação das diferentes gerações com a cidade.

Ele se enxerga capaz de despertar de alguma forma o interesse das pessoas em usufruir melhor os espaços urbanos, não limitando o entretenimento apenas aos shoppings e lugares fechados. Por isso ele curte registrar locais e imagens interessantes em suas redes sociais.

Jean também levanta junto com seus amigos um grupo de ciclismo, fazendo do ato de pedalar um estilo de vida.

📷@lukasbatistel

Uma publicação compartilhada por Jean Nascimento A.k.a. Mtron (@mtrondesign) em

Como citado na entrevista, ele também gerencia um Blog e Canal chamado Jazz, onde ele compartilha suas idealizações e seu estilo de vida, vale a pena conferir: Instagram, Youtube, Blog.

A entrevista também revelou como a arte influencia suas composições, sendo que alguns de seus trabalhos artísticos dão ligações para suas letras. Alguns de seus materiais podem ser encontrados no Tumblr (MTRON), e em no instagram como @mtrondesign.

A ideia para o local de gravação partiu do próprio Jean. Queríamos um local no qual ele se senti-se confortável e habituado. Sendo assim, conseguimos uma autorização para gravar no jardim do Museu da Imagem e do Som em Campinas (MIS). A eles nossos agradecimentos. A locação nos ajudou a fazer com que a conversa fluísse mais livremente.

O museu conta com um bom acervo relacionado a evolução da mídia e comunicações no Brasil, em especial na cidade de campinas, com materiais ligados ao cinema, teatro, radio e televisão, além de bandas e orquestras que se apresentavam no passado pela região.

O museu também conta com a exibição de filmes premiados, desde grandes produções até as mais independentes. E conta também com oficinas e palestra relacionadas aos assuntos de comunicação e arte.

E apesar das condições do prédio, que acreditamos merecer uma atenção especial, a visita acaba se tornando uma boa experiência do conhecimento ao patrimônio histórico do município. Já que o museu esta instalado no Palácio dos Azulejos.

Estamos ansiosos para continuar trazendo mais conteúdos como estes pra cá.  E ir e evoluindo cada projeto aos poucos. Contamos com ajuda e opinião de vocês para a formação das próximas matérias.

E em breve divulgaremos o que será preciso para participar desta nova etapa do Musica em Foco.

Abraços da Equipe.

Ontem no domingo (4 de junho) milhões de olhos se voltaram para o show beneficente oferecido por Ariana Grande em memoria das vitimas do ataque sofrido em sua ultima apresentação em Manchester, no dia 22 de maio, o qual causou a morte de 22 duas pessoas, principalmente de crianças e adolescentes.

O show intitulado One Love Manchester, teve uma duração de aproximadamente três horas, e aconteceu no Estadio Old Traddord, reunindo 50 mil pessoas, fora as que assistiam a transmissão pelo mundo. No Brasil foi possível acompanhar através da live no youtube fornecida pelo canal da cantora, e também pelo Multishow.

O evento foi marcado pela participação das bandas Coldplay, Black Eyed Peas, Little Mix, Take That; as cantoras Miley Cyrus, Katy Perry e Imogen Heap; os cantores Niall Horan, Pharrell Williams, Liam GallagherMarcus MumfordJustin BieberMac Miller (namorado de Ariana) e obviamente a própria Anfitriã.

Durante todo o show o clima era de união e solidariedade, não só o publico mas também os cantores foram tomados pela emoção e significado do momento. O que causava períodos arrepiantes onde todos cantavam juntos como um imenso coral.

A imagem de um policial se divertindo com adultos e crianças em uma roda, que ganhou rapidamente uma grande proporção na internet, pareceu expressar bem aquilo que todos esperavam para aquele dia: Um misto de paz e segurança, renovação, para que as coisas fossem mais leves daqui para frente.

Foto: Reprodução de Rede Social, Twitter.

O repertório marcado com musicas, e muitos covers, que abraçavam o publico, transmitiam mensagens e sentimentos aflorados, como se narrassem exatamente o que era preciso dizer. Mas o show também contou com outras canções e hits dos artistas, algumas delas dedicadas aos fãs de Ariana.

Alguns Momentos Significativos

Chris Martin (Coldplay) puxou a multidão para cantar Don’t Look Back in Anger (Não olhe para trás com Rancor) da banda Oasis, musica que já havia sido entoada no memorial às vitimas dias atrás.

Miley Cyrus junto com Ariana cantaram “Don’t Dream It’s Over” ( Não sonhe que Acabou) da banda Crowded House. Está é uma musica da qual gosto muito, e que já passou por varias regravações nas vozes de diferentes artistas, tanto que não é a primeira vez que Miley e Ariana cantam ela juntas, um dueto já havia sido feito em 2015.

Em outro momento, Miley Cyrus emocionou e se emocionou cantando Inspired, uma nova musica da cantora que conta com uma letra cheia de sentimentos sinceros.

Katy Perry trouxe força e motivação ao evento contando “Roar” (Rugido).

Black Eyed Peas se reuniu depois de anos, apenas para participar deste evento. O grupo contou com a voz de Ariana para cantar “Where is the Love” (Onde está o Amor), um grande sucesso de banda, e que expressa a procura de todos por uma sociedade mais harmônica.

Outros momentos como de Ariana cantando “My Everything” junto a um coral de crianças, Coldplay que pareceu abraçar o publico com “Fix You” e o encerramento da cantora com “Somewhere over the rainbow” também merecem destaque.

E caso você queira assistir toda a transmissão completa, poderá fazer isso clicando aqui, ou assistindo o vídeo a baixo.

Quem Não Gostou

Apesar do sucesso do show beneficente que conseguiu arrecadar cerca de US$ 2,6 milhões (R$ 8,4 milhões) para apoio aos sobreviventes, muitos internautas criticaram a ação, chamando-a de auto promoção de artistas e celebração de mortes.

Em uma opinião sincera, acho que não devemos esquecer que o trabalho de um artista é justamente o de aparecer, e que para o bem e para o mal sua voz pode exercer grande influencia sob a sociedade.

Este não foi o primeiro evento beneficente da historia que visa transmitir algo e fazer arrecadações por meio do trabalho de músicos, e tão pouco será o último.

Um sorriso nem sempre expressa a felicidade, por muitas vezes ele também pode estar ligado ao alivio, ou a esperança.

Acima de tudo o show conseguiu passar a mensagem que queria de alguma forma, e reuniu milhões de pessoas que compartilhavam dos mesmos sentimentos.

Abraços, e até mais.

Mal nos recuperamos das novidades trazidas pelo Foster The People, que trouxeram três novos trabalhos no final de abril, e maio já nós surpreendeu com diversos lançamentos musicais.

A verdade é que muitos artistas que já estão a um bom tempo sem lançar nada, pretendem voltar para a mídia em 2017, outros estão para começar uma nova fase, por assim dizer, dispostos a trazer inovações em seus estilos ou mensagens.

Destaques desta Semana

Ontem fomos surpreendidos com a graciosidade de Miley Cyrus, que para divulgar sua nova musica, “Malibu“, lançou também um clipe,  que na minha opinião representa bem a sua personalidade, um lado da cantora que eu acreditava que não voltaria a aparecer.

O romantismo, a voz doce, e o lado sexy, tudo está presente em seu novo clipe. Se Miley equilibrar tudo isso junto com a sua energia em seu próximo álbum, sem duvida ela acertará em cheio.

Depois de algumas especulações sobre a continuidade ou não de Hayley Williams na banda, Paramore despertou em abril com o sigle “Hard Times“, que marcou a volta da banda e do novo disco After Laughter.

As musicas do álbum foram lançadas a meia noite, para nós brasileiros, e algumas das 12 musicas se encontram disponíveis no youtube pelo canal da banda. Mas você pode ter acesso ao álbum completo no Spotify.

Precisamos falar dos garotos do One Direction, que estão dispostos a nos surpreender e a provar o por quê entram no meio musical. Os integrantes não chegaram a abrir o jogo a respeito do termino da banda, mas uma coisa é certa, todos estão aproveitando esse tempo explorar suas personalidade e influencias musicais.

Zyan foi capaz de surpreender a todos depois de sua saída, desenvolvendo um pop que lhe dava muito mais força e destaque.  Não demorou muito para que Niall Horan nos apresentasse seu lado compositor, voltando todos os ouvidos para “This Town“, sua voz e um violão. Aliás Nail voltou a chamar atenção semana passado, com o single “Slow Hands“, uma batida boa de se ouvir.

Até que então Harry Styles se levantou. Mês passado nos apresentou “Sign of the Times”, que deixou muitas pessoas curiosas a respeito do rumo de sua carreira, e sobre o que esperar exatamente de seu primeiro disco solo.

Harry já havia deixado explicito varias vezes o seu amor pelo bom e velho rock, assim como suas principais influencias e inspirações que não eram nada fracas. Então na semana passada o áudio de mais uma faixa foi liberada, “Sweet Creature“, que serviu como um ótimo guia sobre o ritmo do disco.

Por fim, hoje, o álbum que leva o seu nome como titulo foi oficialmente lançado. Acredito que paixão foi o seu maior critério na construção deste disco. As musicas recebem influencias que vão do Indie até o Rock Clássico, o Folk e o Soul. São diversas musicas para diferentes momentos, para ouvir calado, dançar ou cantar junto.

Você encontrará as 10 faixas seu canal do youtube. Mas as mesmas também já estão disponíveis no spotify.

Ainda dentro do universo 1D, Liam Payne também chegou a lançar um teaser de seu primeiro single que está por vir, chamado “Strip That Down“.

E para acompanhar melhor o rumo que esses garotos estão tomando, criei uma playlist com o nome de New Direction. Lá vocês vão encontrar alguns dos principais trabalhos solos deles, incluindo “Just Hold On” do Louis Tomlinson com Steve Aoki, e também musicas da banda.

Abraços e Até mais!

É inevitável não fazer qualquer tipo de especulação sobre os possíveis vencedores das grandes premiações.

A essa altura, você provavelmente já está sabendo quem ganhou o não nas principais categorias. Mas algo que vocês ainda não sabem é: Quais foram as nossas apostas e expectativas para o Grammy 2017?

O Grammy abrange um alto número de categorias dentro do meio musical – o que acaba se tornando também uma porta de entrada para o destaque de diferentes artistas – , não é atoa ser considerada a maior premiação deste tipo na América. Por conta disso separei apenas alguns dos vencedores deste ano, e irei confessar quais eram nossas apostas para essas categorias. Confira:









Adele foi o grande nome da noite mais uma vez, conseguindo a vitória em todas as categorias em que foi indicada. E confesso que isso de certa forma me surpreendeu. 25 é um álbum incrível disso eu não tenho duvida ( se tivesse nem ouviria o tanto que ouço), porém eu senti que ele acabou ficando mais distante da mídia em comparação ao 21 onde basicamente todas as musicas eram conhecidas e tocadas.

Eu realmente enxerguei a Beyoncé como uma forte concorrente para as categorias das quais ela dividiu com Adele. Seu trabalho vocal e visual em lemonade é forte e inovador. Adele soube reconhecer isso e gentilmente elogia-la no palco durante a entrega dos principais temas – inclusive ela chegou a quebrar a estatueta, dividido parta do troféu com a Beyoncé -. Seja como for, fiquei imensamente feliz por suas vitórias mesmo estando inseguro em minhas apostas.

ALGUNS OUTROS VENCEDORES DA NOITE

MELHOR CANÇÃO DE ROCK
Blackstar – David Bowie.  

MELHOR PERFORMANCE DE ROCK
Blackstar – David Bowie.

MELHOR TILHA SONORA PARA MÍDIA VISUAL
Star Wars: O Despertar da força.    

 MELHOR VÍDEO MUSICAL LONGO
Eight days a week – the touring years
The beatles.

MELHOR ÁLBUM DANCE/ELETRÔNICA
Skin – Flume.  

MELHOR CANSÃO DE RAP
Hotline Bling – Drake.

MELHOR CANÇÃO COMPOSTA P/MÍDIA VISUAL:
Cant’ Stop The Feeling – Justin Timberlake.

MELHOR PERFORMACE R&B
Cranes in the Sky – Solange. 

MELHOR ÁLBUM POP LATINO
Un Besito Más – Jesse & Joy

  Vocês podem ter acesso a lista completa de vencedores clicando aqui. E se quiser, aproveita para compartilhar com gente o que achou da premiação! Ah, aproveita pra conferir aqui quais foram minhas impressões sobre o evento em geral.
Abraços! E até mais.

Que noite senhoras e senhores! Que noite.

A premiação teve início com umas das vozes mais marcantes ( e uma das artistas que mais admiro) da atualidade: Adele. Entoando Hello, o principal single de seu último álbum, 25, que foi também o marco da volta da cantora aos palcos após uma longa pausa.

Ao meu ver, Adele se demonstrou nervosa e um tanto desconfortável por diversos momentos na canção, chegando a soltar um suspiro de alívio no final. Mais tarde ao prestar homenagem á George Michael – falecido ano passado – Adele pediu para recomeçar a apresentação por não estar gostando de sua própria voz.

Quem acompanha o trabalho da cantora, ou ao menos já assistiu algum de seus shows, sabe o quanto ela é carismática e aberta ao público, além de confessar ser exigente consigo mesma ela também já chegou a confessar seu pânico por grandes eventos ou plateias muito grandes. Outro possível motivo possa estar no incidente ocorrido no Grammy de 2016, que de certa forma a marcou.

Eu não tenho dúvidas de sua capacidade vocal, sou apaixonado por sua personalidade e pelo fato dela não escolher simplesmente por uma máscara e fugir que está bem. Adele antes de qualquer coisa é humana, forte e talentosa, e de forma alguma perde profissionalismo. Prova disso são suas indicações na premiação, e suas vitórias – da quais falarei já já.

Bruno Mars também conseguiu tocar o público em sua homenagem à Prince. O cantor se caracterizou como a lenda que também nos deixou ano passado, e reproduziu uma de suas apresentações com todo o respeito. Mais cedo, Bruno já havia posto todos para dançar com a música “That’s what i like”.

E o que seria do Grammy sem essas grandes Performance? Pode-se dizer que tivemos uma noite lacradora. ( sim eu disse isso)

Beyoncé captou a atenção de todos em sua magnífica performance cantando “Love Drought” e “Sandcastles”. Entregando seu olhar sobre a maternidade ao público, Beyoncé promoveu uma apresentação arriscada, e ao mesmo tempo cuidadosa, exibindo ao mundo a barriga que abriga os gêmeos mais esperados do ano. Sua performance trouxe um pouco do conceito de Lemonade, que inclusive era um fortíssimo candidato na noite.

Katy Perry também teve seu momento de atenção, ao lado de Skip Marley apresentou pela primeira vez “Chained to the Rhythm“, seu novo single, ao vivo. Sua performance envolveu uma casa cheia de projeções e diversos bailarinos escondidos que ao fim causaram uma explosão de ritmo e dança. Ainda não se sabe o que podemos esperar de seu novo álbum, porém nossos olhos se mantêm atentos.

E para encerrar a sessão de comentários sobre performances (lacradoras) do Grammy, Lady Gaga, que a essa altura do campeonato já demonstrou ser uma artista completa, versátil e que não brinca em serviço. Seus fãs que ainda se recuperam do show dado no Super Bowl ganharam mais um motivo para surtar. Gaga que se já aventurou pelo pop, Jazz, Countryn e talvez até outros ritmos, se entregou de corpo e alma para o Rock ao lado de nada mais que o Metallica. A música “Moth Into Flame“, apresentou alguns problemas técnicos com o microfone do vocalista James Hetfield, mas logo tudo foi recuperado e recompensado, nesta que talvez tenha sido uma das junções mais inesperadas para os fãs de ambas.

É claro que não foi só isso, tivemos Alicia Keys ao lado de Maren Morris com seu single “Once“, Demi Lovato em uma homenagem aos Bee Dees e os “Embalos de Sábado a Noite” com a cantora Tori Kelly, Andra Day e o grupo Little Big Town. A Tribe Called Quest também se apresentou entregando seu hip hop de batidas clássicas, quebrando muros em protesto ao presidente Trump. Chance The Rapper que também foi um dos grandes nomes da noite, deu um show ao lado da cantora gospel Tamela Mann e o cantor Kirk Franklin.

Tudo sob a apresentação de James Corden que buscou trazer um pouco de humor para a noite. Caso você tenha perdido não se preocupe, o canal TNT irá reprisar tudo hoje (13/02/17) ás 17:00 hrs.