Enfim, Dezembro.

Foto: Sam X

Dezembro chegou no país que não neva, ou que pelo menos não costuma nevar. Chutou a porta e gritou que veio para por ordem. Reconstruir laços, desfazer brigas, lembrar da caridade e todos aqueles sentimentos que os outros meses não conseguem causar.

Ele trouxe um cartãozinho de boas festas e um convite para as férias. Tirou os sapatos, pulou no sofá e ligou a tv. E com os pés para cima murmurou : _Eu apenas trago os motivos, o momento é você quem faz.

O questionei por sempre levar todo o credito: _Afinal o que você faz de tão especial?

Depois de respirar fundo, e ajeitar sua postura no velho sofá, ele me sorriu e explicou: _ Vocês humanos só tomam atitudes quando passam a acreditar em alguma coisa. Poderiam muito bem distribuir amor em janeiro, reunir os amigos em março, e se lembrar da família o ano inteiro. Mas um de vocês gritou, “hey dezembro é especial!”. E então eu passei a carregar a esperança do mundo inteiro. Eu sou o último suspiro. Sou a chance de consertar o que se estragou. Sou aquele que deseja que o próximo ano seja melhor.

E.Mateus

COMENTÁRIOS

Não existem comentários

Os comentários estão fechados.