Dezembro é um dos meses mais convidativos para fotografar. Pois vivemos estações de sol de calor no Brasil, e o fim do ano traz com ele aquele clima festivo de enfeites e luzinhas para todos os lados.

Um cenário bem favorável para quem deseja praticar o olhar fotográfico durante as férias, ou então fazer um registro mais estiloso do seu verão.

Por isso vim compartilhar com vocês essas 3 técnicas das quais gosto muito, e que também acredito serem ótimas para aprender e praticar durante o verão.

BOKEH

A característica principal que define o Bokeh não é apenas o desfocamento no fundo da imagem, e sim as formas semelhantes que os pontos de luzes tomam ao se fazer isso.

Foto: Rayn Pouncy

Para conseguir este efeito você precisará diminuir a profundidade do campo de visão, ou seja aumentar o máximo a abertura da lente (diafragma) – por exemplo: próximo a f/1:4 ou f/2-, e caso queira evidenciar algo ele precisará estar relativamente próximo a câmera, dentro do campo de visão.

Diferente da técnica macro, os objetos ao fundo (luzes ou pisca-piscas) precisam exibir uma forma em destaque ao resto da imagem. Você também pode criar filtros, e assim brincar formas além dos tradicionais círculos.

Busque fazer isso a noite, ou então com baixa luminosidade.

LIGHT PAINT – LONGA EXPOSIÇÃO

Essa técnica é divertida e te permite brincar com as luzes, criando desenhos, contornando objetos, enfim: deixando a criatividade fazer o seu papel. E também é uma técnica que funciona melhor a noite ou em lugares com pouquíssima luz.

Foto: Ian Espinosa

E na verdade, conseguir criar esses feitos é até mesmo simples. Você apenas irá precisar de uma fonte de luz como pincel – uma lanterna, um celular, etc -, ajustar o tempo de exposição (obturador) de sua câmera, e criar uma sintonia com a abertura da lente -para que a imagem não fique estourada caso você não esteja e um local totalmente escuro -, isso pode exigir alguns testes até que você consiga acertar, mas no final os resultados são compensadores.

LENS FLARE

Esse efeito é causado pela incidência dos raios solares sob as lentes da câmeras, ao atingir as bordas das lentes os raios são refletidos causando essas pequenas distorções de luz nas imagens.

Foto: Flo Karr 

O posicionamento da câmera em relação ao sol também é importante, já que um lens flare em excesso pode acabar manchando toda a imagem.

Escolher um horário certo também irá garantir uma boa imagem, por isso é bom que saiba que este é um efeito mais comum pelas manhãs – quando o sol já surgiu a poucas horas -, ao meio dia – dependendo do angulo-, e por fim poucas horas antes do por do sol.

Combina bem com o verão né?

Bem, essas foram as minhas dicas de hoje, espero que vocês tenham gostado e se inspirado a produzir grandes imagens nesse verão. E caso experimentem ou já tenham experimentado alguma dessas técnicas, me contem por meio dos comentários ou das nossas redes sociais.

Aquele abraço! Até mais!

COMENTÁRIOS

Não existem comentários

Os comentários estão fechados.