Mais um Primeiro Amor

O primeiro amor é sempre o mais cruel.

Eu cheguei a me apaixonar diversas vezes, sempre por uma personalidade diferente, sempre fora do padrão, nunca ouve uma comparação cabível que me fizesse pensar – É isso que me atrai – ,sempre fui fisgado pelos gestos e pela atenção.

Eu acreditava já ter amado, até que algo mais forte se chocou contra o meu peito, me trazendo de volta sorrisos bobos e arrepios do passado. De repente, todas as outras historias soavam tão fracas na minha mente, e eu tinha certeza de que – Mais uma vez encontrei o primeiro amor.

Mais uma vez por que já caí nessa outras vezes, porém esses novos sentimentos eram muito mais intensos. Capazes de me carregar de volta para casa depois de um dia exaustivo, em busca de um “Oi tudo?“. Capaz de me tirar o medo e a duvida, me fazendo desenhar um futuro mais longo, como jamais desenhei. Forte o bastante para me conceder força, vontade de cuidar e proteger, ou até mesmo Ostentar.

O primeiro amor é sempre o mais cruel.

É tão difícil encontrar um lugar ao qual pertencer e não poder habitar. Ou se desfazer de uma caminho mesmo que mal traçado.

Mas ainda assim me considero com sorte, pois vivenciei o amor. Pois não aceitei que fosse embora por completo, e isso se transformou em uma nova forma de amar. E ainda ouço suas palavras todos os dias, tornou-se uma pessoa amiga para nunca mais abandonar.

Ah, o primeiro amor é sempre o mais doce.

E.Mateus

#8-22pros22

COMENTÁRIOS

Não existem comentários

Os comentários estão fechados.