Musica Em Foco: Five in 4

Que tal matar um pouco a saudade do projeto Musica em Foco, e conhecer mais?

A entrevista de hoje é com a Five in 4, que contou um pouco sobre suas historias e trabalhos que estão desenvolvendo. Em um papo bem descontraído, conseguimos também conhecer um pouco sobre cada um deles. Se liga!

A banda é composta pelo Viny (vocal e guitarra), a Bruna (guitarra e back vocal), Folck (baixista) e um novo baterista ainda a ser revelado (mistérios haha). A banda já passou por outras formações, trocando só o baterista (pela segunda vez). Os integrantes atuais estão desde o começo.

Como surgiu o interesse em se unir, e há quanto tempo a banda existe?

Folck: A Bru e eu já tínhamos uma banda só de garotas, sempre tivemos esse sonho.
Viny: Enquanto isso, eu tocava na igreja e também aspirava pelo mesmo sonho, de ter banda, tocar por aí.
Bru: Daí eu e o Viny nos conhecemos na época da escola e ele me chamou pra formar uma banda com ele. Nisso chamei a Folck.
Folck: E o Viny chamou mais um amigo, daí surgiu a primeira formação da FIVE IN 4. E estamos aí há 5 anos.

Quais são as principais referências de vocês?

Bru: McFly (Amo!), Paramore, Nxzero, curto música Indie também.
Folck: Minhas principais referências estão em bandas brasileiras como: Legião Urbana, Capital Inicial, Cazuza, Raul Seixas. Mas também gosto muito de bandas internacionais: Paramore é um bom exemplo. E gosto de música Folk… Nem dá pra perceber né?!
Viny: Pô! Têm muitas, vamos ver algumas: Chris Daughtry (participante do American Idol), Adam Lambert, Nxzero, Breno & Caio Cesar (pois é, diferente do nosso estilo de modo geral, mas dá pra aprender bastante coisa também), Nickelback e mais recentemente a banda Malta ganhadora do Superstar.

5- Na opinião de vocês, qual é a melhor musica do grupo?

Viny: Atualmente, aposto muito em uma das nossas músicas do novo EP chamada “Me Odeie” e outra ainda sem nome. Mas ainda não finalizamos o EP, então tem chão.
Folck: Todas, rsrs, brincadeira. Do nosso primeiro trabalho as músicas estavam bem ecléticas: tinha música pra chorar, pra gente apaixonada, revoltada, pra balada. Acredito que ”Palavras” foi a que se destacou mais. Do novo álbum ainda não sei dizer, como disse o Viny, ainda não finalizamos.
Bru: Palavras foi nosso primeiro hit, do nosso 1º álbum ela foi a melhor. Sobre o próximo posso dizer que também não sei e estou curiosa.

6- Já passaram por algum momento difícil?

Folck: Ah, com certeza! É natural e necessário, se uma banda não passar por dificuldades, ela não terá uma história maneira pra ser marcada. E o nosso momento mais difícil foi recente, talvez ainda estejamos no nosso momento mais difícil, mas nós estamos transformando esses momentos em canções que logo vamos mostrar pra vocês no novo EP.
Bru: Tem algumas dificuldades antigas também que provaram muito nossa união e força de vontade. Antigamente não tínhamos dinheiro pro estúdio e tínhamos que nos virar pra levar a bateria e os equipamentos pra algum lugar pra ensaiar.
Viny: Há vários momentos. Saída de integrante é bem difícil. Mas esses problemas nunca nos deixaram desistir e nossos fãs também ajudam muito.

7- Já passaram por alguma situação engraçada ou constrangedora?

Bru: Uma vez estávamos indo de van para um dos shows e paramos no posto de gasolina, o Viny estava com uma mexa loira no cabelo e um cara o chamou de pavão (hahahah). Rever a entrevista da MTV também, é muito engraçado!
Folck: Putz! A nossa primeira entrevista foi épica. Só de lembrar fico constrangida e ao mesmo tempo dá vontade de rir. Marinheiro de 1ª viagem é assim mesmo, rsrs.
Viny: Nada a declarar depois da história do pavão (risos). Só a Bru pra lembrar dessas coisas.

Veja a entrevista que rolou no Acesso MTV.

8- Estão trabalhando em algo novo? Podem nos contar um pouco sobre o que é?

Viny: Bem, estamos trabalhando em uma nova EP onde fala de força de vontade e superação, duas coisas que nos recentes momentos difíceis nos manteve de pé. Esse novo trabalho tem um pouco de cada coisa: amor, raiva, sonhos, partilha, mas o foco mesmo é a superação.
Folck: E esse nosso trabalho novo conta muito bem sobre o tempo que ficamos parados e o seu porquê, e das dificuldades que passamos. As pessoas podem se identificar muito porque todos passam por dificuldades, inclusive outras bandas podem se identificar com isso também.
Bru: Além do novo trabalho, também estamos preparando a apresentação do novo baterista. O que tá enlouquecendo a galera. Vai demorar um pouquinho gente, mas vai chegar a hora, aguenta aê!

9- Como vocês definem cada integrante? Existe o mais sério? E o mais extrovertido?

Folck: Defino-me por séria, gosto de dar bronca quando eles precisam (risos). A Bru é a piadista, perde um amigo, mas nunca a piada. O Viny é o cara das boas ideias nas músicas.
Bru: O Viny é o mais musical da banda, a Folck a mais séria (ah, vai, mais ou menos) e eu prefiro que eles me definam, como a mais legal, talvez. Temos um misto de tudo na banda.
Viny: A Folck é a pessoa mais madura na banda, pelo o que já viveu e suas experiências. A Bru tomou o posto do nosso antigo baterista, ela é engraçada, legal (tá aí o seu legal Bru, agora arruma a fonte da pedaleira) e brincalhona. As duas são! Realmente é um pouco de tudo. Temos um bom equilíbrio entre nós. Defendo essas duas como se fossem do mesmo sangue que eu, desde o começo já as considerei minhas irmãs.
Bru e Folck: Viny é sentimental gente!

10- Qual é o maior sonho da banda?

Bru: O nosso maior sonho é que muitas pessoas conheçam e se identifiquem com o nosso trabalho, poder levar a mensagem da banda pro máximo de pessoas possíveis e que de alguma forma, nossa música faça parte de sua vida, história…
Folck: Com certeza é isso que a Bru disse! Sonhamos ver nossas músicas espalhadas pelo Brasil, quem sabe mundo afora, tocar as pessoas com nossas canções e ter uma agenda de shows bem recheada.
Viny: Unanimidade aqui. De fato: o maior sonho da banda e viver de música no Brasil, no mundo quem sabe?!… Ver milhares de pessoas cantando nossas músicas em uma só voz. Conquistar, contagiar, tocar as pessoas através das letras, das melodias.

 11- Qual foi a última música de vocês a ser criada?

Viny: Já iniciamos a gravação do novo EP e a última a ser gravada até o momento é a canção ainda sem nome.
Folck: Em relação a composição foi uma música que eu acredito ser a mais forte, que entre todas as outras ela deixa muito bem claro sobre o que temos vivido. Para mim, ela já é especial: M. (Inicial de seu nome).
Bru: Que bom que o pessoal lembra, por que minha memória é péssima gente. Não lembro. Mas obrigada por terem acompanhado a matéria e obrigada à equipe do Blog Faltou Foco pelo espaço. Acompanhem a gente nas redes sociais pra ficarem por dentro das novidades da FIVE IN 4.

Eu que agradeço por terem participado do nosso projeto, e foi uma honra conversar e conhecer a banda. Particularmente já estou viciado em varias musicas. Sucesso!

E você curtiu a Five in 4? Então faça como a Bruna disse e acompanhe a banda nas redes sociais: FaceBoock, TwitterTwitter Support & Staff Oficial, YoutubeSoundcloudInstagram e suas Letras.
Siga também os integrantes Viny (Twitter, Instagram) Folk (Twitter, Instagram) e Bru (Twitter, Instagram).

E se você também tem interesse em participar do projeto, entre em contato (contato.faltoufoco@gmail.com). É isso ae pessoal, até a próxima!

musicaemfocomenor

COMENTÁRIOS

    uma dica, mude a fonte pois dificulta a leitura e cuidado com o internetês, é legal fica descontraído, mas tem que saber usar, se não vocês perdem credibilidade. Boa sorte!

      Tentamos interferir o menos possível nas respostas dadas pelas bandas, sendo assim, acaba sendo inevitável a presença de algumas gírias. Contudo, obrigado pela observação, vamos analisar o conteúdo.

    Gostei muito da entrevista! Bem descontraída! E por ser uma banda de público jovem acho que o “internetês” aí que o amigo falou, foi bem usado sim, não foi ruim não. Afinal, a banda está falando com o público (jovem) e não fazendo uma seleção de emprego. Dá pra ver o entrosamento da banda. Foi bem divertido!

    “Palavras” é simplesmente viciante!!! ♥

Os comentários estão fechados.