Resultado de Pesquisa

Challenges Criativos para 2016.

Primeiros Post de 2016!

Alguns Dia atras eu cheguei a comentar por aqui que pretendia encarar alguns desafios para 2016. Porém, desafios literários, cinematográficos, fotográficos, culturais, etc.

E na busca por quais eu iria me aventurar encontrei diversos interessantes. Mas me concentrei desafios que pudessem durar o ano todo. Assim vou poder compartilhar aqui com vocês.

Eu preciso agradecer ao meu amigo Gusta Sivi, por me ajudar a pesquisar e adaptar o conteúdo para o português. Juntos selecionamos quais itens seriam mais interessantes de manter nos desafios, e quais poderiam ser acrescentados. O tamanho das listas, principalmente da Literária e Cinematográfica chegou a nos intimidar um pouco. Mas parando para pensar temos um ano inteiro para finalizá-las.

Sem mais delongas…

Challenge Fotográfico

 

Este projeto foi baseado no “52 Week photo Challenge” executado pelo blog Simply Olivia. Eu acabei por substituir algumas coisas, pensando em como poderia usar este desafio para aprender e para compartilhar algumas técnicas de fotografia. Além disso não determinei uma ordem à ser seguida. Dessa forma você pode simplesmente circular, ou riscar quais fotos já tirou ao longo do tempo.

Download

Challenge Literário

 

Este desafio é uma tradução de “2016’s Ultimate Reading Challenge“, do blog PopSugar. E Contém 38 itens (Tipo de livros). Eu me apaixonei por esta proposta desdo momento em que o Gusta me apresentou. Eu não tenho certeza se conseguirei concluir-lo, mas estou bem animado. Assim como o desafio fotográfico, não atribuí nenhum tipo de ordem. Por isso a segunda pagina é dedicada as anotações.

Download 

 

Challenge Cinematográfico

 

Basicamente se resume em assistir 1 filme por semana. No entanto, os tipos de filmes são um tanto especifico. Um ótimo jeito de expandir conhecimento sobre a 7ª Arte, e ao mesmo tempo passar curtir um entretenimento. Os itens para esta lista foram retirados de diferentes “Movies Challenges“.

Download

Quero convidar você a participar desse projeto comigo. Eu vou amar saber o que você anda lendo, assistindo e fotografando. Nossas redes sociais estão disponíveis pra isso. Podemos trocar experiencias durante o ano. 🙂 Em breve trarei mais detalhes. Até mais 😉

O livro transmite uma mensagem de apelo, tanto para familiares, colegas, ou terceiros, que por muitas vezes encaram como normal o isolamento e tristeza dos outros. Mas acima de tudo, tenta nos lembrar sobre o significado da vida.

Essas são apenas algumas das muitas questões que o livro Por Lugares Incríveis nos leva a raciocinar.

Theodore Finch é um personagem complexo, e ao mesmo tempo fascinante. Um garoto inteligente que é atormentado por uma serie de problemas. A todo tempo ele precisa lidar com desafios impostos por sua mente, a depressão, a ridicularização que sofre na escola, e o triste descaso de sua família.

Diferente de Violet Markey, que teve sua vida virada de ponta cabeça após a perda de sua irmã mais velha em um acidente, do qual ela se culpa. Antes, sua vida era repleta de planos, e ela se dedicava a fazer aquilo que mais amava – Escrever. Ela se mantém popular, no entanto vive de forma capaz de manter sempre viva as memorias de sua Irmã.

Os dois se conhecem em uma situação incomum, no alto da torre do sino da escola, onde ambos planejavam suicídio. O que felizmente não acontece, pois, a partir daí eles passam a viver uma história de superação, autoconhecimento e amor.

Finch é despertado por uma força que faz com que ele queira se aproximar cada vez mais de Violet, e ele não mede esforços para isso. Tanto que é capaz de envolver a garota popular em um trabalho com o adolescente “estranho” da escola.

Com o desenrolar da história podemos notar as mudanças que os dois protagonistas causam um ao outro. De maneira sútil eles vão se apaixonando. Finch mesmo com tudo o que passa, consegue despertar em Violet a necessidade de ela voltar a ser quem era. Enquanto ela lhe dá motivos para viver.

A narrativa é feita pelos dois personagens principais. Algo que chama muita atenção é a forma como a autora soube dar características marcantes a cada um deles, e o fato do leitor poder presenciar os dois lados de uma mesma história.

Os diálogos foram bem construídos, e trazem uma linguagem fácil, e jovem. Com isso você acaba por entender melhor os personagens, e criando uma relação de carinho pelos dois.

Além disso, Jennifer Niven consegue despertar em seus leitores a vontade de viver, se mexer e sair daquilo que nos parece comum.

Outra curiosidade sobre a obra, é que todos esses lugares visitados pelos personagens, de fato existem, e são descritos com fidelidade.

Algo que gostei de fazer foi poder pesquisar sobre cada lugar e imaginar a trajetória dos personagens por ali. Já que tais lugares não são apenas apresentados como complemento para um trabalho escolar, mas também como construções das relações entre os personagens.

E ao termino do livro, a escritora deixa uma nota pessoal e muito valiosa sobre o que a inspirou a escrever essa história capaz de lhe fascinar e lhe quebrar o coração.

Eu realmente tenho muito mais pra falar sobre este livro, mas prefiro deixar que ele surpreenda vocês assim como me surpreendeu.

E para os amantes de adaptações: All the bright places (Por Lugares Incríveis, titulo brasileiro) irá as telas dos cinemas em 2017. Com Elle Fanning já confirmada a um bom tempo atrás como Violet.
O Roteiros foi Escrito pela própria Jennifer Niven, e será dirigido por Miguel Arteta (Por um Sentido na Vida). 

Foto: Cena do Filme, As Vantagens de Ser Invisível.

Charlie é um jovem fragilizado. Amedrontado pela volta as aulas no ensino médio um tempo depois de perder um grande amigo que se suicidou. Sua cabeça é constantemente atormentada pela falta de sua tia Helen com a qual ele possuía uma forte ligação.

Chalie é um devorador de livros, e sonha em se tornar escritor.

Entre sua família ele é uma peça neutra, por não ser muito de falar, mas sim observar e sentir. As coisas começam a ficar um pouco mais fáceis a partir do momento em quem ele conhece Sam & Patrick, meio irmãos e melhores amigos.

Apesar de mais velhos, e com um ritmo de vida bem diferente da de Charlie, Sam e Patrick acabam por adota-lo e o introduzem à uma vida cheia de momentos significativos.

Nesse meio tempo ele passa a descobrir os efeitos do álcool, das drogas e das relações humanas.

A história é apresentada através de cartas, dirigidas a uma pessoa que Charlie “conhece”, mas esta, por sua vez, nem mesmo sabe quem ele é, por uma decisão dele. As cartas (Capítulos) foram escritas nos anos 1991-92, e o cenário claramente segue essa ordem através da descrição dos ambientes, dos comportamentos e das mídias apresentadas.

A narrativa em forma de carta nos dá uma noção melhor sobre a passagem do tempo, e também deixa o personagem mais intima ao leitor.

Confesso que isso me cansou em alguns momentos, porque em particular gosto de livros com mais diálogos. Porém os detalhes narrados enriqueceram muito a leitura.

Os conflitos com o amor, os amigos, a família, e com sigo mesmo, criam o enredo da história. Por muitas vezes Charlie demonstra ser altruísta, ignorando seus próprios desejos e problemas em pró daqueles que ele ama.

Na minha opinião é preciso ter acima de tudo, um olhar sensível ao ler este livro. O Escritor, roteirista e Diretor de cinema Stephen Chbosky apresenta um personagem que acaba por nos convidar a entrar na mente de alguém que sofre com a depressão. (Eu quase pirei lendo a sua penúltima carta.)

Em algumas resenhas vi muitos criticarem o fato de Charlie não tomar atitudes e ficar vendo a vida passar. Mas na verdade esse não é algum tipo de defeito, ou erro do autor na criação do personagem. Essas características fazem parte dele, da sua personalidade, e de sua sensibilidade em encarar muitas coisas. E ao fim da história, tudo ganha uma justificativa, e você passa a entender melhor as dores de Charlie e os problemas em sua mente.

Antes de ler este livro eu já havia assistido o filme a tempo atrás (que traz Logan Lerman, Ezra Miller, e Emma Watson no elenco). Eu me lembrava de que havia gostado muito do filme, mas não me lembrava muito da historia.

Este livro teve um significado especial pra mim, pelo fato de eu ter passado por coisas parecidas, mas não tão graves quanto Charlie. Por diversas vezes me encontrava entre as linhas e isso mexeu  comigo. Eu consegui absorver mensagens positivas e realmente gosto quando um livro me proporciona isso.

Eu indico esse livro, mas já aviso, você precisará ter paciência com ele. E mesmo que você já tenha visto a adaptação cinematográfica, vale apena ler, pois a história é muito mais ampla e mais significativa em meio as suas cartas ao leitor.

Abaixo, separei algumas passagens na historia, frases de que gostei ou de alguma forma me fizeram refletir.  Continue lendo

Para quem vive da criação e inovação, um bloqueio criativo pode ser realmente desesperador! Mas se livrar de um bloqueio pode ser mais fácil do que se imagina. Muitas vezes é só uma questão de encontrar o “seu lugar” e “se encontrar”. Então fique atento a algumas dicas, simples, e que costumam ajudar muito nesses momentos.

Brain Storm– Anote toda e qualquer ideia que vier em sua mente, por mais “estúpida” que ela possa parecer. No meio dessa tempestade de sugestões você possivelmente irá encontrar algo que possa usar, ou adaptar para que dê certo.

Saia da Rotina – Uma vez ouvi dizer que o segredo para sermos criativo baseasse em nos sujeitar a situações com as quais não estamos acostumados. Com isso nosso celebro aprende a reagir a diferentes propostas e desafios.

  • (Varie o ambiente de trabalho – quebre o padrão, trabalhe ao ar livre, troque de lugar, modifique os objetos a sua volta.)
  • (Use ferramentas com as quais não está acostumado – muitas vezes ser criativo também significa ser um explorador.)

Assista a filmes e Seriados : Pesquisas mostram que o bom humor causa uma influência positiva na criatividade. Assista a comédias, tire um tempo para assistir filmes que foram lançados anos atrás. Vá ao cinema, e se gostar, até mesmo ao teatro.

Relaxe e tenha uma boa noite de sono – Uma mente cansada não consegue ser produtiva. Uma boa noite de sono será tão boa para sua mente como também para o seu corpo.

Não se prenda a uma única ideia – Fixar-se apenas em uma coisa, te impede de enxergar novas possibilidades. Não há problema algum deixar algo de lado quando não dá certo e você não consegue achar formas para solucionar. Mantenha a mente aberta para outras ideias.

Não permita distrações – Se você é o tipo de pessoa que se distraí fácil com qualquer coisinha, isso pode ser uma trave na certa. Quando estiver no meio de um processo criativo tente manter  coisas que possam te distrair a uma distancia segura de você. (kkkkkk)

Alimentação -Uma boa alimentação faz com que seu corpo funcione melhor, consequentemente também a mente. Alguns alimentos como peixe, em especial o Salmão, são conhecidos por estimular a criatividade por serem ricos em Omega 3. Além disso nozes, sementes secas, ovos e até mesmo chocolate podem agir como estimulantes criativos. (Só não exagera no chocolate)

Eu gosto de recorrer a musicas, elas sempre acabam despertando algum tipo de sentimento, e junto com isso pensamentos que podem facilmente ser convertidos em ideias #FicaDica.

Espero ter ajudado de alguma forma. Abraços!

Os trabalhos de Adam Osgood.

Adam Osgood é ilustrador, diretor de arte, motion designer e educador no Departamento de Ilustração em CCAD em Columbus, Ohio. Também ja trabalhou para diversas marcas e emprasas conhecidas, e ao logo dos anos recebeu diversos premios como Creative Quarterly , 3×3 Pro Show , e o the Big Book of Illustration Ideas.

Em seu site Adam conta que gosta de levar uma vida simples:

“Meus interesses incluem moda, viagens, andar de bicicleta, cinema, impressão gocco, animação, coleta de mp3s, e lavar o chão do meu apartamento todas as manhãs de domingo.”

Confira alguns de seus trabalhos:

Big Black Delta – Huggin & Kissin Official Video from Adam Osgood on Vimeo.


Eu descobri seus trabalhos através de seu tumblr, mas você  pode encontrar outros em seu site.

:)