Resultado de Pesquisa

Mais um mês do nosso desafio cinematográfico chega ao fim, e como prometido vim lhes contar o que eu risquei como concluído em minha lista este mês. Caso você ainda não tenha visto o resumo dos dois primeiros meses poderá fazer isso clicando aqui.

Não foi bem intencional, mas neste mês eu conclui os itens unicamente com filmes que retratam ou foram de fato feitos antes dos anos 2000, dando destaque para os anos 80 e 70.

O que por um lado foi legal, pois tive contato com muitas coisas que influenciaram as novas produções. Mas me sinto obrigado em dizer que: Os tempos eram outros, então muitos dos pensamentos ou coisas retratadas podem acabar incomodando a sociedade atual de certa forma.

Em Março tivemos 5 semanas, por conta disso, listei 5 filmes dos quais eu vi.

E FORAM ESSES:

9.Um clássico da animação infantil – Bernardo e Bianca (Wolfgang Reitherman, John Lounsbery e Art Stevens. 1977)

Bernado e Bianca foi o primeiro filme que assisti para esse mês. E analisando a estrutura da animação o contrate com as produções atuais fica em grande evidencia. A historia corre de forma rápida, e sem muitos rodeios ou mistérios para solução do caso.

O filme apresenta a Sociedade de Proteção e Ajuda, formada por camundongos de diversos países, se reúne no prédio da Nos interiores do prédio da ONU camundongos se reúnem para formar a Sociedade de Proteção e Ajuda. Desta vez uma garrafa com uma carta molhada é encontrado, assinada por uma garota chamada Penny com um pedido de ajuda. Bianca se voluntaría para assumir o caso e Bernado é apontado como acompanhante. Juntos eles embarcam em uma missão de investigação e resgate pela garota.

10. Um filme dirigido e roteirizado por pessoas com menos de 40 anos – Kong: A Ilha da Caveira (Jordan Vogt-Roberts, 2017)

Kong ganhou resenha aqui no blog, mesmo assim irei falar um pouco mais sobre ele. Apesar da historia não ser centrada na vida do animal do começo ao fim, o filme não deixa de destaca-lo como um forte protagonista. O longa foi dirigido por Jordan Vogt-Roberts (de 32 anos), e preparado por uma equipe que conta com jovens roteiristas também. A inspiração da cultura pop, que cresceu com sua geração, também mostra-se muito presente no filme.

O longa acabou me surpreendendo, eu não havia lido muitas coisas sobre a produção antes, por conta disso eu esperava de certa forma um remake da clássica historia de King Kong – o que não aconteceu. Você irá encontrar no máximo pequenas referencias do amor da fera pela mocinha da história, e a expedição que o revela.

Leia minha resenha para saber um pouco mais sobre a historia.

11.Um musical vintage (anterior aos anos 90) – The Rocky Horror Picture Show (Jim Sharman e Richard O’Brien, 1975)

A convite do Gustavo assisti Rocky Horror para entrar no clima da adaptação musical brasileira que ele foi assistir e contou sobre sua experiência aqui no blog. Essa trama surreal, é recheada de referencias da cultura pop da época, e passou a ser uma para muitos depois. Com um humor sarcástico e malicioso, e musicas contagiantes, Rocky Horror marcou a carreira de Tim Curry e Susan Sarandon.

Este musical narra jornada de Brad Majors (Barry Bostwick) e Janet Weiss (Susan Sarandon), um casal que decide buscar ajuda em uma noite tempestuosa quando seu carro fica com um dos pneu furado. Os dois acabam se deparando a monumental mansão do Dr. Frank N. Furter (Tim Curry), um travesti com ares de cientista louco que está sempre em busca de prazer e no momento se dedica a criar Rocky (Peter Hinwood) um homem capaz de satisfaze-lo.

12.Um filme que se passe em apenas uma estação do ano – December Boys: Um Verão para Toda Vida (Rod Hardy, 2007)

O verão costuma ser uma das estações preferidas para os filmes coming-of-age, não poderia ser diferente com December Boys, que apesar de não se passar 100% em um ano, remeta apenas ao verão.

O filme acompanha o verão de quatro órfãos, que pela primeira vez estão tendo a possibilidade de passar as ferias de dezembro, mês de seus aniversários, longe do orfanato católico do interior onde moram e estudam para ficar em um vilarejo no litoral.

Manteiga (Lee Cormie), Mapa (Daniel Radcliffe), Faísca (Christian Byers) e Cuspe (James Fraser) possuem habilidades e personalidades diferentes, mesmo assim costumam ser inseparáveis e vivem juntos todas as experiências de descobertas e transição para o amadurecimento. Durante sua estadia Manteiga ouve de um casal que eles possuem interesse em adotar um dos quatro, e sua conexão espiritual o leva a crer que ele seja o melhor para isso, escondendo assim esse segredo dos outros. Enquanto isso Mapa, o mais velho, vive uma paixão de verão que mudará sua vida.

13.Uma comédia dos anos 80 ou 90. – Sixteen Candles: Gatinhas e Gatões (John Hughes, 1984)

Os filmes de John Hughes ficaram conhecidos por dialogar com os adolescentes americanos dos anos 80, trazendo assuntos dos quais eles queriam de fato falar, e sentimentos dos quais eles realmente entendiam. Molly Ringwald foi uma grande parceira deste diretor, estrelando muito dos seus filmes e tornando-se uma admiração adolescente. Gatinha e Gatões cria humor a partir da posição social na escola, a relação familiar, e o autoconhecimento.

A protagonista Samantha Baker (Molly Ringwald) é uma jovem cheia de sonhos que carrega um amor platônico por Jake Ryan (Michael Schoeffling) típico garoto popular do ensino médio, mas que na verdade esconde um olhar sensível e um interesse sincero em um relacionamento sério. Mas que no entanto namora Caroline Mulford (Haviland Morris) que não o passa essa segurança.

Após ter a data de seu aniversario ofuscada pelo casamento de sua irmã, Sam passa a acreditar que as coisas já deveriam ter começado a mudar em sua vida. Até que então o estranho Ted (Anthony Michael Hall – *que também fez “o clube dos cinco“) lhe entrega uma informação importante sobre Jake.

E esses foram os filmes que eu assisti este mês. E você está o que tem assistido? Já viu algum filme desta lista? Me conte aqui nos comentários!

Abraços! E até mais.

Aproveitando que hoje (08 de março) está sendo comemorado o dia internacional da mulher, iremos mais um vez juntar o útil a agradável, com mais um guia para o nosso desafio cinematográfico.

O item como o título do post já sugere é indicar “Filmes dirigidos e roteirizados por Mulheres”. No entanto a dinâmica para hoje será um pouco diferente, ao invés de uma lista de filmes irei destacar alguns dos muitos nomes femininos que ganharam espaço no meio cinematográfico.

Mas caso você queira fazer sua própria pesquisa ou não se interessar por nenhum desses nomes, relaxe. Em uma breve pesquisa sobre “Diretoras de Cinema e Roteiristas Mulheres” uma lista de tamanho considerável se abrirá para você.

Vamos as dicas?

DIRETORAS DE CINEMA

Ava DuVernay, (Americana, 1972)

Foto: Reprodução – Ava DuVernay

A Diretora e produtora americana Ava DuVernay, atualmente com 44 anos, é a responsável pela execução de filmes impactantes como “Selma – Uma Luta pela Igualdade” e o documentário “A 13ª Emenda“. Em seu currículo outras produções como Queen Sugar , Middle Of Nowhere e a direção de um episódio de Scandal também aparecem. Ela aparece como aliada de muitas causas sociais, além de lutar pela valorização da história de da cultura Afro-americana.

Catherine Hardwicke ( Americana, 1955)

Foto: Reprodução – Catherine Hardwicke

Catherine Hardwicke é uma diretora experiente que já entregou seu olhar para longas bem conhecidos como “A Garota da Capa Vermelha“, “Aos Treze“, “Crepúsculo” e ao drama “Já estou com saudades“. Catherine também já dirigiu para alguns seriados como Eye Candy e Reckless.

Lone Scherfig (Dinarmaquesa, 1959)

Foto: Reprodução – Lone Scherfig

Lone Scherfig é diretora e roteirista, e conta com uma longa lista de filmes que carregam o seu nome. Entre eles estão “The Roit Club“, “Educação“, e a adaptação de “Um Dia“, além de “Meu Irmão Quer Se Matar” e “Hjemve – Lar Doce Lar” dos quais ela também roteirizou.

Gina Prince Bythewood (Americana,1969)

Foto: Reprodução – Gina Prince Bythewood

Gina Prince Bythewood também trabalha com direção e roteiro, e falei um pouco sobre ela recentemente por aqui. Seu ponto forte é o romance, e entre as histórias que receberam o seu toque de direção e roteiro estão “Nos Bastidores da Fama“, e “A Vida Secreta das Abelhas“. Gina também roteirizou o filme “Antes Que Eu Vá“.

Anna Muylaert (Brasileira, 1964)

Foto: Reprodução – Anna Muylaert

O cinema brasileiro também conta com uma extensa lista de grandes diretoras, mas na atualidade Anna Muylaert tem ganho um certo destaque. Ela também já roteirizou filmes conhecidos como “O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias“. Em suas direções estão títulos premiados – até mesmo internacionalmente – como “Que Horas Ela Volta?“, “Mãe Só Há Uma” e “Chamada a Cobrar“.

Angelina Jolie (Americana, 1975)

Foto: Reprodução – Angelina Jolie

Angelina Jolie é um nome que dispensa muitas apresentações, porém ainda existem pessoas que não conhecem o lado produtora desta atriz. Sua direção já lhe garantiu uma indicação ao Oscar nesta função, através do filme “Unbroken – Incrível“. Em sua lista de direções também estão “By The Sea – À Beira Mar” onde ela atuou ao lado de seu ex-marido Brad Pitt, e “Na Terra de Amor e Ódio“, sua primeira direção.

MULHERES ROTEIRISTAS

Brit Marling (Americana, 1982)

Foto: Reprodução – Brit Marling

O nome da produtora e roteirista Brit Marling reacendeu após sua produção na Netflix, The OA, alcançar um grande público. Porém Brit conta com uma grande lista de atuações, produções e roteiros em seu currículo. Entre eles “O Sistema“, filme que tem o seu roteiro mas recebeu a direção de Zal Batmanglij, além de “A Seita Misteriosa” e “A outra Terra“, todos com também com sua atuação.

Linda Woolverton (Americana, 1952)

Foto: Reprodução – Linda Woolverton

Sua infância provavelmente foi acompanhada por algum roteiro de Linda Woolverton. Isso porque ela é responsável por grandes enredos infantis e juvenis como “A Bela e a Fera“, “Malevola“, “Alice no pais das maravilhas“, “Alice Através do Espelho” e “O Rei Leão“.

Jane Goldman ( Inglesa, 1970)

null

Foto: Reprodução – Jane Goldman

Jane Goldman é roteirista e produtora, e está no coração de todos os geek e admiradores de ação. Seu nome está atrelado a filmes como X-Men: “Primeira Classe“, “X-Men: Dias de um Futuro Esquecido“, “Kingsman – Serviço Secreto“,” Kick Ass – Quebrando Tudo” e o suspense “A Mulher De Preto“.

Tina Fey ( Americana, 1970)

Foto: Reprodução – Tina Fey

Tina Fey é uma das maiores mulher humorista americana. Sua versatilidade parece não ter fim: Ela é atriz, produtora, diretora e roteirista, como se não bastasse, sua lista de trabalhos conta com mais de 25 títulos. Apesar de aparecer mais como atriz e diretora para seriados, Tina roteirizou filmes famosos como “Meninas Malvadas” e colaborou como produtora para “Uma repórter em Apuros” e “Irmãs“, nos quais ela também atua.

Apesar desta lista acabar trazendo um grande numero de profissionais americanas, a intensão do post não foi valorizar apenas mulheres dessa nacionalidade. A escolha dos nomes se deu pela popularidade e acessibilidade às obras. Espero que possa ter contribuído não só para o desafio, como também para o conhecimento de vocês.

Parabéns à todas as Mulheres!
Abraços! E até.

Se você acabou de chegar e não sabe muito bem do que estou falando, quero primeiramente lhe dar as boas vindas! E convidar você a conhecer nosso desafio dos 52 filmes. Lhe garanto que será uma ótima experiência que irá te tirar não só da zona de conforto, mas também irá lhe proporcionar conhecimento para coisas novas.

8 semanas (completas) já se passaram desde o início do desafio, sendo assim 8 filmes de caráter especial deveriam ser assistidos, atendendo às categorias de sua escolha. Obviamente não assistimos apenas 8 filmes em 2 meses. Alguns nem mesmo atende as categorias do jogo. Enquanto outras categorias acumulam mais de um.

Mas é claro que para ser justo com o jogo e com todos os participantes selecionei apenas os filmes que mais se destacaram para computar no desafio.

Sem mais demora,…

ESSA FOI A MINHA SELEÇÃO DE FILMES:

1.Um filme baseado em um livro que você ainda não leu – A Hospedeira (Andrew Niccol, 2013)

Adaptação do livro de Stephenie Meyer traz às telas um universo completamente diferente, para aqueles que estavam apenas familiarizados com sua obra de grande sucesso : Crepúsculo.

O filme lançado em 2013, conta a história de uma garota chamada Melanie Stryder (Saoirse Ronan), sobrevivente de uma invasão alienígena, por seres que usam os corpos dos humanos como hospedeiros para suas formas de vida. Ao ser capturada Melanie passa a ser habitada por Peregrina, que descobre não poder se livrar tão fácil da mente da garota, e passa a conhecer melhor os humanos e seus laços.

2.Uma animação japonesa – Akira (Katsuhiro Otomo, 1998)

Akira é considerada a precursora das animações japonesas, por isso logo me veio cabeça assisti-la já que eu não a conhecia. A animação de 1988 roteirizada por de Izô Hashimoto e dirigida por Katsuhiro Ôtomo foi baseada em um mangá homônimo de sua autoria.

O ano é do de 2019, o cenário é a iluminada Neo-Tokio, erguida após uma grande explosão que causou a destruição da antiga cidade. Porém a cidade está em crise, e sofre com constantes ataques. Nas ruas gangs de motoqueiros combatem por território. Uma realidade desconhecida surge quando Tetsuo evolve-se em um acidente, tendo contato com Takashi uma criança de aparência e mente misteriosa.

Tetsuo é levado pelo governo como cobaia e passa a desenvolver poderes imensuráveis, chegando a ser comparado com Akira, o responsável pela grande explosão.

Kaneda, líder de sua gang e amigo de Tetsuo, precisará lidar com os mistérios que envolvem a vida de seu parceiro e lidar com as influências que o poder passa a desenvolver na mente de alguém amargurado.

3.Um filme que se passa em diferentes épocas – A viagem (Tom Tykwer; Lana Wachowski e Lilly Wachowski, 2012)

Este filme apresenta seis fascinantes histórias, que mesmo ocorrendo em diferentes épocas, carregam entre elas uma forte ligação e uma relação de coexistência dentro do ciclo da vida. Do século XIX (19) até um futuro distante onde a terra foi invadida e os seres humanos regressaram em seu modo de viver, somos apresentados a um advogado levado a lutar pelos direitos abolicionistas, um jovem compositor em busca de sua sonata perfeita, uma jornalista empenhada em ir até o fim para desmascarar uma desonestidade, um senhor dono de uma editora em busca de lucros financeiros e segurança, uma clone programada para servir a sociedade e que se envolve em uma jornada descobrimento da vida fora de seus padrões, e um homem atormentado que luta pela segurança de sua tribo sobre as crenças de uma mulher que lhes deixou sabias palavras para trás.

É um grande filme, não só pela forma como as histórias se cruzam e se completam, mas também pelo maravilhoso elenco – que conta com Tom Hanks, Halle Berry,Jim Sturgees, David Gyasi, Ben Whishaw, James d’ArcyDonna Bae ( que atualmente trabalha com as Wachowskis em Sense8) –  e sua caracterização e direção.

4. Um filme com protagonistas negros –  Beyond The Lights: Nos Bastidores da Fama (Gina Prince-Bythewood, 2014)

Assisti um dos filmes que indiquei em um dos guias para o desafio. O filme explora através de Noni Jean (Gugu Mbatha-Raw) um lado da mídia e do mercado musical ainda pouco exposto para os seus consumidores. Noni tem o seu talento explorado por sua mãe (Minnie Driver), e acaba muitas vezes passando para a impressa uma imagem bem oposta dos seus reais interesses. Kaz Nicol (Nate Parker) também passa por dilemas por nem sempre querer seguir os passos de seu pai, mesmo vivendo muitas vezes em sua sombra.

O trabalho de Gugu Mbatha-Raw nesse longa é sem dúvida algo admirável, em minha opinião ela soube incorporar perfeitamente os traços e postura de uma cantora em cima dos palcos. A trilha sonora também é um bom complemento. E despertou meu interesse por mais filmes dirigidos por Gina Prince-Bythewood.

5.Um filme que se passe em apenas uma noite – Nick e Norah: Uma Noite de Amor e Música ( Peter Sollett, 2009)

Antes de tudo quero dizer que talvez eu refaça esta categoria. Já que o filme passa grande parte do enredo em uma unica noite, porém no começo apresenta cenas a luz do dia. Já tenho outro filme em mente, mas por enquanto estou mantendo este aqui.

Nick (Michael Cera) está em uma banda, ele rompeu com uma garota já a algum tempo, porém seguir em frente não é exatamente o que ele esta tentando fazer, por mais que diga que sim. Norah (Kat Dennings) é apaixonada pelos Cds que ele grava na intenção de reconquistar Tris, mas nem mesmo o conhece. Os dois se encontram quando ambos estão tentando fujir das verdades. E logo se encontram juntos pela cidade de Nova York atrás de um show icônico.

6.Um documentário – The mask you live in (Jennifer Siebel Newsom, 2015)

The mask you live in aponta os principais efeitos negativos causados em homens, jovens e crianças que foram criados sobre a cultura do machismo. O documentário mostra o quão devastador pode ser para alguém evitar falar ou demonstrar seus sentimentos, buscar uma postura de poder, ou aceitar a distorcida visão sobre o papel de um homem na sociedade.

A produção conta com a análise de profissionais, esportistas, psicólogos e educadores, assim como depoimentos emocionantes de homens que presenciaram os impactos desse tipo de criação em suas vidas.

Apesar de focar no cenário social dos Estados Unidos, chega ser impossível não se lembrar de alguém que tenha vivido algo semelhante ou até mesmo se identificar. Creio que é um ótimo filme não só para homens de diferentes idades, mas também para mulheres, mães ou qualquer pessoa que venha se interessar.

7. Um sci-fi pouco comentado -A outra Terra (Mike Cahill II, 2011)

Rhoda Williams (Brit Marling) cruza o caminho com John Burroughs (William Mapother) de um modo trágico. Na noite em que a descoberta de um planeta semelhante a terra anunciada, ela se distraí observando o céu enquanto dirige, atingindo o em cheio o carro da onde se encontrava a família do compositor. Após quatro anos as noticias são outros, há vida neste planeta e uma sociedade replicada da Terra. Rhoda enxerga em um concurso para uma viagem espacial a possibilidade de recomeçar, mas antes ela se vê obrigada a concertar os seus erros de alguma forma.

A ficção cientifica ou o lado fantasioso não surgem como protagonistas nesse longa, mas sim como apoio para sustentar uma história de superação e recomeço dos personagens. Eu acabei não encontrando exatamente aquilo que eu esperava no filme. Mas foi uma boa forma de conhecer um pouco mais do trabalho de  Mike Cahill IIBrit Marling, que se unem constantemente na produções de filmes com essa pegada, e atualmente trabalham juntos na série The OA.

8.Um filme indicado ao Oscar no ano que você nasceu – Sintonia do amor – Sleepless in Seattle (Nora Ephron, 1993)

O filme foi indicado ao Oscar por melhor roteiro original em 1994, porém não levou o prêmio na categoria. (Me desculpem pelo trailer sem legenda ou dublagem, mas infelizmente não consegui encontrar.)

Sam Baldwin (Tom Hanks)  perdeu a sua esposa, e decide que precisa recomeçar sua vida em outra cidade ao lado de seu filho Jonah (Ross Malinger).  Em outro lado Annie Reed (Meg Ryan) está ocupada construindo alicerces para seu futuro casamento. Após um ano e meio observando a tristeza de seu pai Jonah decide ligar para um programa de radio na busca por concelhos, envolvendo seu pai em um desabafo sincero. A história do viúvo que amou sua esposa e não consegue esquece-la ou tão pouco seguir em frente ganha o país e a atenção de varias mulheres, incluindo Annie que passa a repensar sobre seu casamente e nutre o desejo de conhecer Sam.

E esses foram os filmes que eu assisti para o desafio nesses primeiros 2 meses. Acabei por resumir minha opinião sobre alguns, para que o post não ficasse tão extenso.

Mas podemos trocar dicas e impressões por aqui mesmo nos comentários.

Aquele Abraço! E Até mais!

O maior evento de premiação musical de 2017 está chegando. O Grammy deste ano ocorrerá neste domingo (dia 12 de fevereiro) e para entrar no clima resolvemos juntar o útil ao agradável, criando mais um guia para o nosso desafio cinematográfico.

Item: Indicado por melhor trilha sonora no Grammy

Muitos filmes já passaram pelas categorias de melhor canção original para mídia visual, melhor compilação de trilha sonora ou melhor trilha sonora original.

Entre os vencedores dos últimos anos estão Birdman – (Alejandro González Iñãrritu, 2015), Frozen – (Jennifer Lee, 2014), Grande Hotel Budapeste – (Wes Anderson, 2014), Skyfall – (Sam Mendes, 2013), Meia noite em paris – (Woody Allen, 2012), Os homens que não amavam as mulheres -(David Fincher, 2012) e Jogos Vorazes – (Francis Lawrence, 2012).

Por isso, para sermos mais diretos, optamos em falar dos principais concorrentes desse ano, em duas categorias. Confira:

 

INDICADOS À MELHOR TRILHA SONORA

Ponte dos Espiões – (Steven Spielberg, 2015)

O novo thriller político do consagrado diretor Steven Spielberg conta a história um advogado especializado em seguros, interpretado por Tom Hanks, que se torna ponto central em uma troca de reféns durante a guerra fria sofrendo pressão de ambos os lados do conflito. Foi um dos filmes responsáveis por trazer Spielberg de volta ao centro das atenções nos últimos anos, rendendo várias indicações ao Oscar, principalmente.

A trilha sonora impactante assinada por Thomas Newman constrói uma ótima atmosfera para esse drama político de espionagem. – E foi a escolha do Gustavo para cumprir esse item.

Os Oito Odiados – (Quentin Tarantino, 2016)

Com a minuciosa direção de Quentin Tarantino, Os oito Odiados acompanha a trajetória de um carrasco em busca de reconhecimento por ter capturado uma famosa fugitiva. No caminho eles se juntam a um caçador de recompensas que possui outros interesses, e um xerife preste a ganhar posse. A história se desenrola até se somar oito personagens em um mesmo abrigo, todos com um passado denso e uma discórdia inevitável.

Os filmes de Tarantino possuem trilhas sonoras marcantes, que ditam o clima das cenas e convidam quem está assistindo a adentrar ainda mais em seu cenário..

O Regresso – (Alejandro González Iñarritu, 2016)

A famosa adaptação responsável por premiar Leonardo Dicaprio com seu primeiro Oscar também está concorrendo nesta categoria.

O filme – O regresso – acompanha a trajetória de Hugh Glass por sua sobrevivência e desejo de vingança. Após ter sido atacado por um urso, sendo abandonado por seu companheiro de viagem.

O filme também recebeu em 2016 o Oscar de de melhor fotografia e diretor.

Star Wars : O despertar da Força – (J.J. Abrams, 2015)

Neste novo capítulo da saga épica, a catadora de peças Rey, que vive isolada em um planeta esquecido encontra o android BB-8 que contém a chave para que a Aliança Rebelde encontre o lendário Jedi, Luke Skywalker. Assim impedir a ascensão de uma nova força política maligna.

Em “Star Wars” como um todo a música é um show a parte. Nesta nova saga o compositor John Williams volta a seu papel na regência da orquestra, fazendo um trabalho a altura daquele que consagrou os filmes clássicos.

MELHOR CANÇÃO COMPOSTA PARA MÍDIA VISUAL

 

Esquadrão Suicida – (Heathens – Tyler Joseph (Twenty One Pilots) / Purple Lamborghini – Skrillex & Rick Ross)

Apesar dessa categoria não exaltar a narrativa do filme, não tem como deixar de comentar o quanto Esquadrão Suicida dividiu o público devido o polêmico corte de cenas que chateou até mesmo os atores.

Histórias à parte, duas músicas criadas para trilha sonora do filme foram indicadas para o Grammy – Heathens – Twenty one Pilots e Purple Lamborghini – Skrillex & Rick Ross –  preciso dizer para quem estou torcendo?

No filme, o governo americano acredita precisar de uma equipe de metahumanos para combater ameaças decorrentes após o surgimento do Superman. Surge assim o projeto “Esquadrão Suicida”, onde os criminosos/vilões presos mais perigosos são obrigados a executar missões a mando do governo. Obtendo sucesso eles têm suas penas abreviadas até 10 anos. Mas a falha pode significar a morte.

Trolls – (Can’t stop the feeling – Justin Timberlake e outros)

Animações costumam ganhar um espaço especial no coração do público, e uma boa trilha sonora contribui com um peso importante para isso.  Can’t stop the feeling cantada por Justin Timberlake está concorrendo nesta categoria e é uma forte candidata.

A animação, apresentada dois Trolls que de início parecem não combinar nem um pouco, após passarem por diversos desafios, ambos acabam descobrindo que no fundo não são tão diferentes assim.

Alice Através do Espelho – (Just like fire – P!nk e outros)

“Através do espelho” acompanha o retorno de Alice ao país das maravilhas. No período entre os dois filmes ela se torna uma lenda por lá, Porém quando o seu amigo chapeleiro se encontra em risco, Alice é chamada de volta e tem de enfrentar um vilão mais poderoso que tudo, o próprio tempo.

A música de P!nk foi muito elogiada porque a cantora fez o que sabe fazer de melhor, criou uma música tema empolgante ao seu próprio estilo e com um toque de estranheza que combina tanto com a própria imagem do filme. 

E aí? Tem algum desses filmes que você ainda não assistiu e que pretende por na lista do desafio? Então conte para nós!

Você também pode encontrar a lista completa dos indicados ao Grammy no site oficial da premiação, lá também está disponível os nomes dos ganhadores nos anos passados.

Post escrito em conjunto com Gustavo Sivi
Abraços! E até mais 😀

Antes de tudo gostaríamos de expressar nossa imensa gratidão a vocês que abraçaram a ideia do desafio cinematográfico . É imensamente gratificante para nós esse apoio de leitores, e outros blogueiros que compartilham suas experiências e convidam outros a participar.

E indico a vocês o post criado pelo blog calculadamente, onde ele fez um balaço de todos os filmes que assistiu este mês para o desafio. (Obrigado!)

VAMOS AO GUIA?

Como prometido, iremos ajudar vocês na conclusão de alguns itens, dando sugestões de filmes que se encaixam nas propostas. Alguns já vistos por nós, e outros que ainda esperamos ver. Mas isso vocês só saberão depois.

Para hoje escolhemos o item: Um filme com protagonistas Negros. 

Buscamos nos distanciar o máximo possível dos gêneros populares entregues aos protagonistas negros – filmes sobre escravidão, vidas criminosas, cenários de grande pobreza ou comédias ( não que não sejam ótimos filmes) – , no entanto pode ser que algum filme ou outro dessa lista acabe expressando isso de alguma forma, por uma questão de senso comum.

Alguns filmes populares como os brasileiros “Cidade de Deus” e “Ó pai ó”, ou estrangeiros como “A procura da Felicidade”, “Histórias Cruzadas”,“Karate Kid”, *Insira aqui algum filme do Eddy Murphy*, entre outros, não entraram na lista justamente por serem mais conhecidos. Mas caso você ainda não tenha visto algum desses essa pode ser uma ótima oportunidade para fazer isso.

NOSSAS SUGESTÕES DE FILMES

Preciosa

A angustiante história de Claireece “Preciosa” Jones (Gabourey Sidibe), uma adolescente de 16 anos que foi privada de seus direitos básicos durante toda sua vida. Maltratada por sua mãe, e grávida de seu próprio pai pela segunda vez, Preciosa encontra em uma nova escola uma chance de viver uma vida melhor sob a orientação de sua professora.

Talvez prefira em: Um filme que tenha um(a) cantor(a) como coadjuvante.

Nos Bastidores da Fama

Um romance entre Noni Jean (Gugu Mbatha-Raw) – uma cantora que acaba de atingir seu pico de fama, e ainda busca aprender a lidar com o fato de ter se tornado uma figura pública, pressionada por seus pais a sempre dar o seu melhor – e Kaz Nicol (Nate Parker) – um policial encarregado de cuidar da segurança desta estrela em ascensão, mas que acaba se tornando seu ponto de paz.

Belle

Baseado em fatos reais, este filme contará a história de Dido Elizabeth Belle ( mais uma vez, Gugu Mbatha-Raw), filha de uma escrava africana com um capitão britânico. Após a perder sua mãe, a jovem é levada para Inglaterra onde passa a ser criada pelo Tio como uma dama. Porém essa convivência e o surgimento de um amor a deixarão em desavenças com sociedade inglesa.

Talvez prefira em: Em filme baseado em uma história real.

Hotel Ruanda

Em 1994, em Ruanda, a maioria Hutu inicia um conflito armado com a minoria Tutsi, tal conflito tem dimensões históricas que remontam a colonização. O filme em questão acompanha Paul Susesabagina (Don Cheadle) e sua família em uma tentativa de esconder mais de 1000 refugiados no hotel Mille Collines. Este filme joga luz em uma marca forte da triste herança da colonização africana.

Talvez prefira em: Um filme sobre refugiadosEm filme baseado em uma história real.Em filme baseado em uma história real.

INDICADOS AO OSCAR 2017

Alguns dos filmes indicados ao Oscar deste ano também se enquadram em alguns itens de nosso desafio. Aqui estão alguns indicados para este assunto em questão:

Moonlight – Sob a Luz do Luar

Black (Trevante Rhodes)  está decidido a escapar do mundo das drogas e da criminalidade, um rumo aparentemente mais fácil para as pessoas em sua volta. Durante a sua vida ele se depara com diferentes formas de amor, além de construir um plano melhor para seu próprio futuro.

Estreia: 23 de fevereiro

Fences – Um limite entre nós

(Denzel Washington) – Seu sonho de infância de se tornar um grande jogador de beisebol não se concretizou. Ele se tornou um coletor de lixo que luta para sobreviver, e cuida para manter um bom relacionamento com a sua família.

Estreia: 16 de fevereiro

Estrelas Além do Tempo

Uma história que foi mantida escondida por muito tempo, sobre o papel crucial de mulheres durante a corrida espacial entre os Estados Unidos e a Rússia em 1961. Katherine Johnson (Taraji P. Henson), Dorothy Vaughn (Octavia Spencer) e Mary Jackson (Janelle Monáe) mulheres, amigas, inteligentes e negras, obrigadas a trabalhar separadas de funcionários homens e brancos.

Estreia: 02 de fevereiro 

Apesar de breve e simples esperamos que essas sugestões lhes ajudem na escolha de qual filme assistir, ou então por onde começar a procurar.

E caso você ainda não saiba do que se trata este desafio, de uma olhada neste post aqui.

Em breve voltaremos com muito mais!

Abraços! E até Logo.

:)