Sexta-feira passada a Netflix lançou mundialmente mais uma de suas grandes produções, 13 Reasons Why, adaptação de um livro publicado no Brasil com nome de Os Treze Porquês , que já vinha gerando uma grande expectativa entre os leitores/amantes da obra de Jay Asher como também daqueles que passaram a conhecer a história pelos anúncios de estreia.

A série ficcional apresenta Hannah Backer (Katherine Langford) , e o óbvio e trágico fato sobre ela: “Hannah tirou sua própria vida.” Mas por que?

Os fatos passam a se desenrolar quando Clay Jensen (Dylan Minnette), um garoto que mantinha um convívio com Hannah e mostrasse até mesmo ter a amado logo no início, recebe em sua porta uma misteriosa caixa com fitas k7s, numeradas com a ordem em que devem ser ouvidas. Ao tocar a primeira fita, Clay obtém a primeira de muitas desagradáveis surpresas que estariam por vir. Hannah listou 13 motivos que a levaram a cometer suicídio, e possuir aquelas fitas significava fazer parte ou ser um dos motivos.

O mistério é um ponto forte da trama, conforme que nos deparamos com a personalidade de Clay nos perguntamos diversas vezes o que ele poderia ter feito de tão grave, ao mesmo tempo que alguns sinais de sua abstenção tornam-se um problema.

Em sua jornada pela apuração de todos os fatos Clay também acaba se deparando com pessoas das quais ele não sabe se deve ou não confiar, e que estariam dispostas a defender seus próprios ideais até o fim.

Foto: Reprodução da internet – Cena da série 13 Reasons Why.

A série consegue se desenvolver e crescer gradativamente, conforme o fim se aproxima um clima pesado e perturbador já está instalado no ar. Outro fato que merece ser destacado é a narrativa introduzida. Hannah muitas vezes soa como cruel e sarcástica, e suas palavras conseguem atingir seus alvos de forma certeira, criando até mesmo uma espécie de tortura psicológica. Porém ela deixa de ser a vítima.

No primeiro instante Hannah aparece como uma garota feliz, é inimaginável que algo poderia estar errado com ela, e é exatamente este olhar que muitos depositavam sobre ela naqueles momentos, de que sempre estava tudo bem. Talvez por esse fato a narrativa também seja criada através das cores. O passado é repleto de cores quentes e uma temperatura morna, já o presente em cores frias e tons de luto.

Foto: Reprodução da internet – Cena da série 13 Reasons Why.

13 Reasons Why desempenha um papel muito mais importante do que só entreter, é uma série que escancara portas para diversos assuntos que ainda passam por vista grossa em nossa sociedade, mas que afetam pessoas diariamente. Ela foi criada para ser chocante, para incomodar, te fazer pensar, e lhe tirar de todas as zonas de conforto. Isso fica ainda mais claro quando os episódios começam a apresentar alertas de risco – com cenas propositalmente perturbadoras – e isso é importante.

A série também consegue quebrar a visão patética que muitos insistem em guardar sobre o bullying, sobre os atos aparentemente inofensíveis e o caminho que a falta de uma punição pode levar.

Foto: Reprodução, Imagem de Divulgação – Netflix

Confesso que eu estava apreensivo a respeito de como o suicídio seria tratado ali. Ao discutir este assunto você precisa de um extremo cuidado, ainda mais entre um público jovem. Não se pode passar a ideia de que essa é uma atitude legal ou de fato uma solução, mas também não devesse de forma alguma desmerecer as dores da vítima. E felizmente isso não aconteceu.

Retratar quantas vidas foram afetadas após a decisão de Hannah é uma forma justa de mostrar que ninguém está 100% sozinho e muitas outras pessoas sofrem genuinamente com as marcas deixadas. A produção também estimula o diálogo, visto que diversos momentos torcemos por Hannah falar, mesmo já sabendo do fim.

Foto: Reprodução da internet – Cena da série 13 Reasons Why.

Até mesmo a posição da escola e dos pais é algo que não passa em branco. Com fatos importantes que leva educadores e profissionais da área de ensino observarem com mais atenção o que ocorre em suas voltas, e não simplesmente lidar com os problemas como uma fase adolescente causada por hormônios. Assim como os pais.

Existe a reprodução do velho e sujo discurso sobre a culpa ser da vítima, porém dentro do contexto fica claro o quão absurdo dizer isso é.

Foto: Reprodução da internet – Cena da série 13 Reasons Why.

13 Reasons Why foi sem dúvida uma das melhores séries que já assisti esse ano. E fico feliz em ver o quanto isso mobilizou e abriu discussões na internet. Tenho vontade de agradecer a todos os envolvidos por terem iniciado uma mobilização, e espero que isso vá além das telas de computadores, tablets e smartphones.

Não importa se você não é uma garota, não importa se não é mais jovem, não importa se você acha que isso é só mais uma “modinha teen”, engula seu orgulho e assista essa série até o fim. Você também encontrará um vídeo bônus intitulado “Tentando Entender Os Porquês”, onde os atores, escritor, diretores, produtores e afins discutem cenas importantes da série e o que isso significou para cada um deles, assim como o que pode significar para você. – Sim Selena Gomez aparece como uma das produtoras na entrevista, ver pessoas influentes envolvidas em causas nobres admirador.

13 Reasons Why, Netflix
13 Episódios. -Média de 50 min/Ep.
1 Temp.

#NãoSejaUmPorque
Abraços e até mais.

COMENTÁRIOS

Não existem comentários

Os comentários estão fechados.