Antes de qualquer coisa, eu preciso dizer o quanto estou feliz pelas minhas expectativas não terem sido quebradas, na verdade, essa história foi muito além do que eu esperava.

Nimona é apresentada logo de cara como uma garota disposta a todo custo a se aliar a um grande vilão, neste caso Lorde Ballister Coração-Negro. Porém ela não é apenas uma garotinha – ela é um tubarão, um lobo, um gato, um rinoceronte, ou quem sabe um dragão – é uma poderosa metamorfa, e com isso pode se tornar o que bem entender.

Ballister Coração-Negro por outro lado é um personagem acostumado a agir sozinho já a um bom tempo, seus planos malignos circulam dentro de uma zona de segurança, e tudo isso passa a ser abalado com a chegada de Nimona – que deseja tocar o terror e agir sem piedade.

Em outro lado está Sir Ambrosius Ouropelvis, aquele que poderia ser considerado o herói. Ele trabalha para a Instituição de Heroísmo & Manutenção da Ordem, e seu maior objetivo é impedir que qualquer atividade de Ballister concrete.

Essa rixa é bem mais pessoal do que aparente no início, e ao decorrer da história percebemos que mesmo em meio ao rancor guardado, ambos se privam da ideia de causar a morte de seu oponente. E de certa forma, também foram igualmente afetados por atos da Instituição.

Essa situação também passa a ser abalada pela vinda de Nimona, que desencadeia uma série de fatos que levam os outros personagens a sair de suas áreas de “atuação na sociedade” e passem a exibir com clareza seus reais valores.

Noelle conseguiu criar um universo muito intrigante dentro de seus quadrinhos – uma mistura entre o medieval e o moderno, a fantasia e realidade. Seus traços carregam todos os sentimentos dos personagens, assim como as cores de cada sequência se encaixam perfeitamente sob a trama.

Divertida, irônica e trágica – o combo perfeito para uma HQ.

Por não conhecer a fundo seus trabalhos como quadrinista expostos na internet, e tão pouco o mundo habitado por Nimona, acabei por me surpreender diversas vezes com os detalhes inseridos ao longo da história, e da linda relação entre diversos personagens.

Apesar de algumas questões não receberem uma resposta direta, ficam bem subentendidas e permitem ao leitor tirar suas próprias conclusões. Porém a real motivação por trás das atitudes da protagonista ficaram no ar para mim.

Contudo eu indico para quem está atras de uma leitura rápida, com empoderamento feminino e a representatividade da diversidade em vários sentidos.

Nimona,
de Noelle Stevenson, 2015.
Contém 272 páginas.
Publicado no Brasil pela Editora Intrínseca.

Abraços! E até mais.
Ps: Obrigado Felipe Oliveira por ter me emprestado.

COMENTÁRIOS

Não existem comentários

Os comentários estão fechados.