Resumo Bienal Internacional do Livro

Eu não poderia ficar sem lhes contar como foi um pouco da minha experiência na Bienal Internacional do Livro de São Paulo depois de passar meses ansiando por isso. Como um resumo geral eu já posso adiantar que a minha primeira Bienal foi Fantástica.

Chegamos a preparar uma matéria em vídeo, mas infelizmente estamos tendo alguns probleminhas com a finalização. Isso também fez com que não tirássemos muitas fotos. Porém o vídeo será postado, nem que precisemos esperar até dezembro (por favor, não) para isso.

O primeiro sentimento após atravessar a catraca passa ser um misto entre curiosidade e deslumbramento. Me transformei em uma criança com a necessidade de entrar no maior numero de estandes possíveis.

Apesar de cheio, o evento não estava tão lotado no primeiro fim de semana. Era possível andar com tranquilidade pelos corredores, que dito por muitos, estavam mais largos neste ano. No entanto a superlotação se concentrava dentro dos estandes de muitas distribuidoras e editoras favoritas pelos visitantes, que infelizmente não traziam um espaço tão adequado.

Por volta das 13:30 nos dirigimos até Arena Cultural, pois próximo dali ocorria o encontro de Booktubers para inscritos. Essa quebra de barreira entre o gerador de conteúdo e seu publico foi maravilhosa. Observar de perto as pessoas que compartilham suas opiniões e que de certa forma influenciam outras é demais. Todos estavam felizes, abrindo espaço para interação com um sorriso no rosto.

Além disso outros blogueiros literários aproveitavam o espaço para divulgar um pouquinho de seus trabalhos. O encontro mal tinha começado e já segurávamos um leque de marcadores bem produzidos.

Foto: E.Mateus

As 16:00 já estávamos aguardando a palestra/entrevista com a autora Jennifer Niven na Arena Cultural. Jennifer contou um pouco mais sobre sua inspiração para escrever por lugares incríveis, que partiu de seu amor por um rapaz em sua adolescência, que era diagnosticado com Bipolaridade.

Os acontecimentos com este jovem marcaram muito sua vida, e o assunto vagava de uma forma difícil em sua mente. Jennifer só tomou coragem para tocar em um tema tão delicado após se lembrar de uma de suas últimas conversas com seu agente e amigo que veio a falecer. Ele a pediu que escrevesse sobre algo que ela não teria muita coragem em falar sobre, e isso a motivou a criar seu primeiro YA.

Após o bate papo e de responder algumas perguntas de seus leitores, iniciou-se a sessão de autógrafos. Eu ensaiei por semanas tudo o que queria dizer à ela, mas no fim tudo o que saiu foi um “I love this Book“, ela sorriu e disse que isso era muito importante para ela, e após tirarmos a fotografia ela me disse: “Your name is so cool

Foto: E.Mateus

Ao sair da arena de Autógrafos me deparei com o Eduardo Cilto de pé conversando com algumas garotas, a essas horas toda vergonha já havia indo embora então decidi ir até ele.

Para encerrar o dia, fomos até a Bienight, que também rolou na arena cultural. E foi comandada pelos garotos do Índice X, Chris e Alisson e o cômico Virtor do Geek Freak. Além do bate-papo com outros booktubers, explorando a rotina e empenho de cada um, o encontro também proporcionou sorteios, e foi assim que ganhei “Como procurar um Cachorro Perdido”, que inclusive já estou acabando e mando, e provavelmente irei falar mais sobre ele aqui.

Não pudemos ficar até o fim do evento, pois ainda tínhamos um longo caminho de volta para casa. Mas já estávamos empolgados para a próxima semana.

Continua…

COMENTÁRIOS

Não existem comentários

Os comentários estão fechados.