Foto: Ilustração – de desconhecido

Na última parte do nosso especial sobre histórias assustadoras — veja a #1 e #2 parte —, não dá pra falar de contos de terror sem os calafrios causados pelo norte americano Edgar Allan Poe (1809 – 1849), que mais de 100 anos após sua morte ainda é um ícone absoluto do terror ao redor do mundo e continua provando seu poder de assustar leitores e plateias e inspirar as novas gerações de autores de terror.

Poe escrevia como se conhecesse as trevas, representando sentimentos ruins, principalmente o desespero, através de histórias diretas e sem enrolação ou enfeite. Ele soube como poucos estimular o lado negro da imaginação humana, e por isso é leitura perfeita para uma sexta feira 13.

Existem ótimas coletâneas e edições para os textos do autor, por exemplo a completa coletânea da Darkside Books que já falamos por aqui. Porém para este post, escolhi três dos textos que mais gosto do autor, assim relembro de três clássicos para os fãs e apresento três dos melhores para os que ainda não conhecem Edgar Allan Poe.

No geral, Poe escreveu sobre uma gama de angústias, desesperos, assombrações, culpas, sendo capaz de ver como ninguém a mente humana. Até mesmo o amor toma um lado sombrio nas mãos dele, como em “O corvo” nesta maravilhosa edição da Darkside Books que conta até mesmo com a tradução feita pelo mestre brasileiro Machado de Assis. Mesmo que escrito em forma de poesia, a capacidade narrativa desta história é tão incrível que o autor facilmente transporta o leitor para a cabeça de um homem que perdeu o amor e se vê atormentado por um corvo.

Outro trabalho muito reverenciado do autor é “O Gato Preto”, um conto absolutamente original, de novo, Poe retrata de forma inigualável a descida de um homem a loucura, e as consequências disso, dessa vez a figura sombria é um gato, que lembra o homem das suas sombras. O gato preto que parece olhar diretamente na alma do louco, o gato é implacável em revelar ao homem a loucura interna dele que ele negligenciou em ver.

Por fim, temos “O barril de amontillado” apesar de menos conhecido, este conto retrata a suprema e mais sádica história de vingança, quando dois homens decidem explorar uma cripta sozinhos. Inclusive, é melhor que seja dito pouco deste conto para que o leitor o explore sozinho.

Poe continua a ser referenciado em muitas obras até hoje, e lido e atualizado sempre que precisamos de um bom calafrio. Com uma obra imortal dessas, qual seu conto preferido dele? Acham que esquecemos de algo? Conta aqui, vamos nos assustar juntos com Poe!

COMENTÁRIOS

Não existem comentários

DEIXE SEU COMENTÁRIO