Semana passada nosso prodígio dos movimentos culturais – Gustavo – lançou por aqui um desafio envolvendo a literatura clássica. O projeto se assemelha ao nosso desafio cinematográfico, no entanto não é tão extenso.

Confesso que não sou tão aberto aos clássicos da mesma forma como o Gustavo é, mesmo assim eu achei essa proposta de ler um clássico por mês uma ideia sensacional. Como o próprio Gusta (porque eu o chamo assim) me disse durante uma conversa: Ler esses livros acabam nos ajudando a entender a influencia que tiveram sob a literatura moderna e refletir sobre a visão que os autores tinham da sociedade antigamente.

Irei citar os livros que “eu” escolhi para cumprir os desafios, mas você pode saber mais sobre a lista e a proposta clicando aqui. Além disso, em breve o Gusta trará uma resenha sobre o seu primeiro livro escolhido.

*As minhas escolhas para capa/editora basearam-se em uma pesquisa e alguns conhecimentos sobre a proximidade com a obra original, material de apoio e popularidade.*

  • Um clássico da literatura brasileira: Dom Casmurro. Machado de Assis, 1899 –

Sim! É um livro bem popular e conhecido dentro da literatura clássica brasileira. Lembro-me de ter ganho uma edição no ensino médio, mas não sei se a li.
O livro é narrado por Bento, e suas memórias da juventude. Amargurado e crente de que seu filho com Capitú na verdade é fruto de uma traição com seu melhor amigo, o velho e solitário – agora Dom Casmurro – busca respostas em suas lembranças.

  • Um clássico da ficção científica: Planeta dos Macacos. Pierre Boulle, 1963 –

A história deste livro se distancia da atual franquia conhecida, no entanto já ganhou uma adaptação mais fiel em 1968.
A Obra apresentará Ulysse um jornalista que parte com uma tripulação de cientistas para a descoberta de novos planetas. Em sua busca, eles pousam em um local semelhante a Terra, encantador porém ríspido. Neste planeta os macacos exercem agem como seres humanos, e os homens são como animais de baixo intelecto, usados como, cobaias, transportadores e animais de estimação.

  • Uma antologia de contos: Eu, Robo. Isaac Asimov, 1950 – 

Também como um clássico de ficção cientifica. O livro é reúne nove contos que relatam a evolução dos autômatos através do tempo. Sob o comprometimento às três leis da robótica, Isaac Asimov leva o leitor a refletir sobre diferentes assuntos.

  • Um clássico da literatura de horror: Frankenstein. Mary Shelley, 1818 –

A figura icônica dos clássicos de horror, a relação entre criador e criatura entre outros assuntos são levantados nessa história que até hoje vem tendo uma repercussão mundial.
Inclusive, já rolou matéria sobre a obra aqui no blog, escrita pelo Gustavo.

  • Um clássico sobre uma figura feminina: Anna Katerinina. Liev Tolstói, 1877 –

Considerado o maior romance já escrito, Anna Keterinina se destaca pela aproximação com a vida levada pelas de diferentes posições sociais da época, além da complexidade em montagem de parentescos.
A historia relata os caminhos levados Liévin – um proprietário de terras – e Anna, uma aristocrata casada, que se cruzam apenas vez em toda em meio a longa narrativa.

  • Um clássico sobre traição: Madame Bovary. Gustave Flaubert, 1857 –

A obra retrata a vida de uma mulher com anseios de uma vida diferente da qual leva ao lado de seu marido, um homem de personalidade fraca, em uma cidade do interior.
Em sua época de publicação o livro chegou a gerar revolta e incomodo da sociedade.

  • Uma distopia clássica: 1984. George Orwell, 1949 – 

A história se passa em uma sociedade aprisionada e controlada pelo Estado, onde seus habitantes são obrigados a agir de forma coletiva ao mesmo tempo em que se encontram sozinhos. E onde ninguém escapa da vigilância do Grande Irmão.
1984 foi o ultimo livro escrito por George Orwell, e é até hoje é vista como a obra fundamental para o gênero distópico.

  • Um clássico sobre aventuras: Viagem ao Centro da Terra. Júlio Verne, 1864 –

Otto Lidenbrock é um renomado professor, geólogo e mineralogista, que decide partir em uma jornada ao centro da terra após encontrar uma mensagem cifrada descrevendo tal local com detalhes. Junto de seu sobrinho Axel e o guia impassível Hans, Otto parte rumo ao desconhecido afim de comprovar suas teorias sobre a vida terrestre.
Meu primeiro contato com uma obra de Verne foi através do livro 20 mil léguas submarinas, que me prendeu do começo ao fim, já faz algum tempo que estou interessado em ler algo mais do autor.

  • Uma peça clássica: Hamet. William Shakespeare, 1603 – 

Guiado por seu falecido pai, Hamlet parte em busca da vingança em seu nome e uma jornada de autoconhecimento. -“Ser ou não ser, eis a questão”- Hamlet é uma das mais conhecidas peças escritas por Shakespeare.

  • Coletânea de poemas: Sapato Florido. Mario Quintana, 1948 – 

O livro traz uma coletânea de poemas em forma de prosa onde Quintana extrai valores e questionamentos sob a perspectiva de situações banais e cotidianas. É umas das principais coletanas indicadas para quem quer conhecer mais sobre o poeta.

  • Um clássico que gerou polemica na época: O Retrato de Dorian Gray. Oscar Wilde, 1890 –

O Livro propõe uma reflexão sobre o valor da beleza externa e os valores internos. Dorian é um personagem que entrega sua alma a um quadro em troca de sua beleza eterna. Porém a pintura passa a sofrer deterioração no passo em que Dorian toma atitudes questionáveis.
Essa obra acabou resultando na prisão do próprio autor, acusado por atentado ao pudor. Em uma época onde a homoafetividade  era vista como crime, Oscar Wilde foi  condenado pela visão de seus personagens, tendo os trechos de seu livro sendo usados contra ele em julgamento. Ainda hoje, existem diversas versões com censura.

E essas foram as minhas escolhas para o desafio, talvez eu não consiga ler todos os títulos, mesmo estou empenhado em ir atrás de alguns. Também espero que essa lista tenha ajudado vocês a se inspirarem, e tomarem coragem para conhecer mais sobre os clássicos e encarar o desafio.

Me conta, tem algum desses livros que você quer ler, ou já leu?

Abraços! E até mais.

COMENTÁRIOS

Não existem comentários

Os comentários estão fechados.