Hey! Tudo bem com você?

Espero que sim 🙂

Serei direto, – Estou escrevendo este post mais como um desabafo e atualização de alguns fatos – Eu quero mesmo conversar.

Eu acabei diminuindo bastante a frequência de posts aqui no blog, ao ponto de Setembro e Outubro ficaram basicamente em brancos por aqui. E tudo isso foi gerado a partir de um descontentamento pessoal que se estendeu para muitas outras coisas.

Já faz um bom tempo que eu venho me programando para desenvolver um conteúdo que de fato me deixasse satisfeito, não que o que eu tenha feito até então não tenha me deixado, mas eu sinto falta de pôr mais a “mão na massa”.

Mas infelizmente tudo o que eu tenho rabiscado em meu caderno de ideias de certa forma exige dinheiro – EVENTOS, DIY, PEQUENAS REFORMAS E AFINS.

E isso acabou chegando a um ponto em que não deveria.

Um dos principais motivos pelo qual me apaixonei pelo mundo dos blogs anos atrás era a interação e a liberdade que eles permitiam as pessoas. Era um espaço incrível para expor ideias, compartilhar gostos, e se sentir menos sozinho – E acredito que para muitas pessoas ainda seja.

Mas nos últimos anos, tudo isso acabou se “comercializando demais”. – Sei que corro um risco imenso de ser mal interpretado, mas vamos lá.

Creio que qualquer pessoa se empolga muito em poder ganhar dinheiro com aquilo que gosta, e comigo não foi diferente. Foi exatamente empolgante saber que eu poderia fazer de uma paixão, um belo trabalho. É ótimo pensar que há pessoas e empresas interessadas em reconhecer  através de lucros todo o seu tempo e empenho depositado em algo do qual você se identifica.

Mas o que eu encontrei na verdade foi um cenário ríspido.

Existe muita gente disposta e te julgar e criar textos imensos sobre como você é pequeno e de como nunca chegará onde outros chegaram, ao invés de simplesmente ignorar o tipo de conteúdo que não os atrai.

Existem pessoas dispostas a se promoverem a todo o custo, apagando a possibilidade de encontrar conexões sinceras em um local que antes era justamente reconhecido pelo oposto.

Tudo é View, tudo é like.

E não, eu não acho que ganhar dinheiro pelo conteúdo que você lança na internet seja um problema. Mas manter isso como o foco principal pode ser um tanto desastroso.

Hoje sinto muita falta dessa união entre blogs, que eu sei que ainda existe e que muitos não abrem mão, mas custa a ser encontrada, até mesmo dentro dos grupos de interação.

Sem perceber eu passei a me preocupar com as visualizações, e a repensar em toda estrutura do blog.

Mas também me lembrava de como eu me sentia satisfeito com os posts simples no começo, e como era divertido chegar da escola anos atrás e escrever sobre músicas e séries.

Eu não me pressionava, nem mesmo me cobrava uma posição. Era divertido apenas.
Durante Setembro/Outubro eu pensei: Eu prefiro passar um tempo sem escrever até reencontrar o que me faz bem, do que gerar algo forçado, por obrigação.

Eu me desliguei por um bom tempo, mas nunca desconectei. O caderno de rabiscos continua aqui, agora, com ainda mais ideias.

Porém, me escondi tanto que até esqueci de pagar algumas contas, o que fez com que o site ficasse alguns dias inacessível.

Talvez esse seja apenas um jeito dramático de dizer que sumi, mas estou de volta, e que não vou parar.
Assim como antes, irei escrever sobre coisas que me rodeiam de alguma forma, tentando manter uma frequência. O dinheiro? Se vier será bem-vindo – sem dúvidas – mas a motivação não será essa. E espero de vocês leitores e blogueiros, que possamos criar conversas e nos unir por coisas boas.

Abraços, e até mais.

COMENTÁRIOS

Não existem comentários

Os comentários estão fechados.